Quando eu era pequeno passei por algumas experiências em centros de Umbanda e não posso afirmar que foram positivas. Tive muito medo até pouco tempo de espíritos e casas de Umbanda. Além de passar muito tempo com apenas flashs de momentos assustadores nessas casas e ser totalmente desinformado do assunto.

É interessante ver pais levando seus filhos para os centros de Umbanda, mas gostaria de pontuar alguns detalhes e a minha opinião pessoal sobre o assunto. Acho ótimo os pais levarem seus filhos e acredito que as entidades possam abençoar e ajudar, mas também precisamos nos ater a alguns pontos que acontecem na cabeça de uma criança ao entrar em um centro de Umbanda. As crianças têm a mente fértil e podem elaborar uma fantasia teatral para aquilo tudo e sim, podem ser fantasias não tão legais para ela.

Um caminho interessante de combater tais fantasias ruins, seria o de não só bater um bom papo com o filho após as sessões para tirar dúvidas e quebrar um pouco do medo que ali possa estar, como um pouco antes também. Explicar de forma divertida que a tia Iemanjá está ali para ajudar, e que o vovô vai conversar com ele e ele precisa ouvir com atenção. Fora isso, levar em uma gira de criança é sempre uma excelente opção, afinal, todos brincarão juntos e deixarão o clima muito mais leve.

Quando pequeno, fui levado ao centro por parentes e a única coisa que lembro são flashs de pessoas estranhas passando a mão em mim, falando esquisito e estalando os dedos. Pode parecer piada hoje, e até engraçado os momentos que vi no passado, mas durante os meus 30 anos de vida tive muito medo de tudo e a resposta disso é clara hoje para mim, desinformação. Eu conheci os terreiros de Umbanda só de vista, porque eu fui lá e nada me foi explicado.

Quando pensarem em levar familiares pequenos, filhos, sempre tenham em mente que a cabeça daquela criança não é a mesma que a sua e que seria muito legal que eles ficassem à vontade com aquela situação, para isso, o caminho é a conversa. Não pense que a criança não entende, ela vai entender e perguntar, basta explicar de forma tranquila e paciente. Com isso, todas as crianças poderão absorver melhor tudo que está acontecendo e crescerem com a imagem positiva do centro de Umbanda.

Espero ter ajudado.

Saravá.