Com o passar do tempo no terreiro da minha casa, escutei algumas vezes para não ler tanto, não pesquisar tanto, para perguntar mais a entidade. No início, achei aquilo um pouco estranho, até mesmo sem sentido. Com o passar do tempo fui entendendo o que aquela preocupação significava. Quando você estuda muito, às vezes se torna o “dono da verdade” e sabemos muito bem que em se tratando de Umbanda não sabemos nada.

Ao estudar muito no fervor dos primeiros dias, fiquei um pouco confuso com tanto material lido, escutado e assistido. Alguns com uma linha mais para o candomblé, outros para o Kardecismo, e isso me confundia, afinal, qual material eu deveria ler? Na verdade, a resposta era simples, todos. É normal ficar confuso, ter conhecimento de várias coisas é interessante, mas saiba ter um raciocínio crítico, e o mais importante, discuta suas dúvidas com os guias e pessoas mais experientes da sua casa.

Eu tenho muito isso no desenvolvimento na minha casa, eu adoro ler, devoro todo tipo de livro sobre o assunto, mas também adoro conversar, e nada melhor para aprender do que conversar sobre suas dúvidas, anseios e confusões mentais. Na casa a qual frequento, existem momentos de perguntas para a dirigente incorporada com a entidade responsável, o que facilita muito a dúvida ser respondida.

Não tenha medo de perguntar, pergunte. Não é bom ficar achando uma coisa e na verdade ser outra. Quer saber o que é “pemba”, pergunte, não tem certeza de como tomar um banho de descarrego, peça que lhe instruam. Todos somos humanos, irmãos da Umbanda, e devemos aprender uns com os outros.

Além de ler, confie e tenha seus guias como seus amigos. Eles estão aqui para lhe ajudar e esclarecer suas dúvidas também. Não há problema em perguntar nem em questionar, eles respondem, tudo que for perguntado com honestidade e respeito, as entidades te auxiliarão.

Sendo assim, divirta-se em aprender com e sem as entidades. Saber é essencial. E também, não deixe de passar o conhecimento, se viu que um irmão está fazendo errado, não brigue, ensine. É bom ter ajuda quando não se sabe. Quando fui no terreiro pela primeira vez, a instrução de tudo que devia fazer foi essencial para eu entender e para achar tudo belo. E foi como um sábio falou falou: “Com quem sabe mais aprenderemos, quem sabe menos ensinaremos” – Caboclo das 7 encruzilhadas.

Espero ter ajudado alguém…