Todos nós temos ao redor do nosso corpo físico um campo eletromagnético, composto por corpos sutis, que se chama aura. As auras das pessoas funcionam como antenas que recebem e enviam mensagens entre si e são percebidas através da nossa intuição.

Principalmente quando passamos por situações que vem contra ao nosso real querer o nosso desequilíbrio fica em evidência e esta energia se agrupa a nossa aura.

Os banhos de ervas são, de uma maneira geral, rituais onde utilizamos elementos da natureza com o intuito de que haja uma troca energética entre o indivíduo e estes elementos naturais utilizados. Os banhos de ervas servem principalmente para limpar as energias negativas, afastar influências negativas reequilibrar, aumentar a capacidade receptiva do aparelho mediúnico e desobstrução dos chacras. Não somente os médiuns ativos da umbanda devem tomar banhos de ervas, mas todos em geral podem e devem se beneficiar deste poder natural.

Os banhos de ervas secas

Devem ser preparados por infusão, ou seja, essas ervas devem ser colocadas em uma vasilha com água fervente que será tampada e permanecer por pelo menos 10 minutos desta maneira.

Faço uma observação que quando manusearmos as ervas secas. É necessário fazermos uma ativação das mesmas, pois pelo motivo de estarem seca a energia está parada. A ativação deverá ser com a evocação dos orixás, pedindo que as energias contidas naquelas ervas secas sejam ativadas e que sejamos beneficiados daquela energia quando se tornar um banho.

Banhos de ervas frescas

Devem ser preparados por maceração, ou seja, as ervas frescas devem ser colocadas em um recipiente com água e maceradas por alguns minutos. Caules, raízes mais grossas e talos duros (como as espadas) devem ser fervidos por um período médio de 30 minutos. Os banhos de ervas devem ser tomados depois do banho higiênico, e podem ser coados.

Com relação a quantidade de ervas a serem colocadas no banho, existe uma idéia de que sempre deverá ser ímpar, porém temos conhecimentos passados pela espiritualidade de que nem sempre será, entretanto na sua grande e esmagadora situação será ímpar mas vale a pena sempre consultar o responsável espiritual de cada terreiro.

Características de banhos

Banho de descarrego

Serve para livrar a pessoa de cargas energéticas negativas. Estamos o tempo todo em contato com pessoas negativas e ambientes onde o mal é abundante. Por mais que nos vigiemos ora ou outra baixamos nosso nível vibratório e imediatamente estamos entrando nessa egrégora de energia negativa. Se não nos cuidarmos, vamos adquirindo doenças, distúrbios e podemos até ser obsidiado, por isso o banho de descarrego é fundamental. Há dois tipos de banho de descarrego: o banho de sal grosso, que lava toda a aura desmagnetizando a pessoa. Este banho é muito eficiente para descarrego, porém não deve ser jogado na cabeça e imediatamente após a sua utilização deve-se tomar um banho de ervas para equilibrar as energias, uma vez que ele realmente é capaz de tirar toda a energia da aura. O banho de ervas de descarrego tem efeito mais duradouro e consequências maiores que o banho de sal grosso e possui algumas ervas naturalmente descarregadoras, sacudindo energeticamente a aura de uma pessoa e eliminando grande parte das larvas astrais e miasmas. Para preparar este tipo de banho, devemos nos utilizar de ervas que chamamos de ervas quentes, tais como: arruda, guiné, aroeira, folhas de fumo, entre outras.

Banho de defesa

Serve para a manutenção energética dos chacras, impedindo que eles se impregnem de energias nocivas em determinados rituais, como por exemplo: em oferendas, em campo de força, ou quando vamos conhecer um novo terreiro. As ervas utilizadas para preparar este tipo de banho são aquelas relacionadas ao orixá regente da pessoa (de frente adjuntó e ancestre) ou qualquer outra que uma entidade espiritual recomendar.

Banho de energização

Reativa os centros energéticos e refaz o teor positivo da aura. É um banho que devemos utilizar regularmente, tomando antes e depois de uma gira espiritual. Para o preparo deste tipo de banho, devem ser utilizadas ervas mornas, tais como: pétalas de rosas brancas, amarelas, alecrim, alfazema, levante, entre outras.

Banho de fixação

É utilizado para trabalhos ritualísticos e deve ser tomado apenas por médiuns que irão realizar um trabalho aprofundado e ao entrar em contato com entidades elevadas. Este banho abre todos os chacras, aguçando a percepção mediúnica. As ervas utilizadas neste tipo de banho devem ser indicadas pelo responsável espiritual de cada casa.
Além destes, há também os banhos específicos que são preparados com ervas frias e trabalham em um determinado campo de energias, como por exemplo: os banhos atratores, que podem ser preparados com malva, canela ou rosas vermelhas; os banhos energéticos que podem ser feitos com girassol, guaraná ou emburana; os banhos calmantes que podem ser preparados com capim cidreira, melissa ou erva de são joão.

Independente do banho que você for preparar, da escolha das ervas, bem como se serão secas ou frescas, sugerimos que, antes de jogar em seu corpo, o banho passe por uma consagração. Associamos cada erva a um orixá, devido a isso, entendemos que as ervas fazem parte do sagrado e nada melhor do que evocarmos as 7 linhas de umbanda, assim como os orixás respectivos que estamos nos servindo naquele momento, pedindo para que a energia contida nas ervas nos envolva e que possamos aproveitar o máximo daquele axé.

Faço a sugestão também de se utilizar uma vela branca, independente do orixá a ser evocado e pedir para que aquele elemento natural (fogo) seja utilizado na consagração, pois aí teremos os 4 elementos (terra, ar, água e fogo) a fim de potencializar o nosso banho. Aguarde o término da vela para tomar o seu banho. Durante a queima da vela cubra o seu banho com um pano branco e deixe-o repousando.